Sapatinhos feitos de borracha da seringueira ..artesanalmente.. lindos.. e confortáveis.. e ainda … da Reserva Extrativista Chico Mendes

O látex extraído das seringueiras pode ser transformado na borracha premiun FDL (Folha Defumada Líquida), que é empregada na produção de calçados e outros artefatos. Os seringueiros acreanos tiveram contato com o processo de preparação da FDL através de pesquisadores da Universidade de Brasília (UnB).A extração vegetal tem importante papel na economia do arco norte da faixa de fronteira, sendo fonte de renda para centenas de famílias. Com o apoio da Secretaria de Programas Regionais, a Associação dos Moradores e Produtores da Reserva Extrativista Chico Mendes de Assis Brasil, terá condições de investir na qualidade e identidade visual do produto final (sapatos, sandálias, bolsas, chaveiros etc), incrementando sua comercialização nos mercados nacional e internacional.

um pouco mais …

Francisco Alves Mendes Filho “Chico Mendes”

44 anos antes de Chico Mendes nascer, no Acre, já existiam conflitos de terra. A área que hoje é o estado do Acre foi disputada num confronto armado entre Bolívia e Brasil, os seringueiros por fim, comandado por Plácido de castro, retiraram os 15 milhões de hectares das mãos dos bolivianos. O tratado de Petrópolis, de 1903 deu a posse definitiva do Acre ao Brasil. Os seringais tornaram rica a região do Acre. A riqueza da borracha atraiu muitos nordestinos á região. Um deles foi o avô de Chico Mendes. As famílias que se mudaram do Ceará para a Amazônia tiveram de se adaptar a um meio ambiente totalmente diferente. Úmida, escura e fechada a Amazônia era uma selva de insetos, doenças que se propagavam. Não havia escolas e nem hospitais. Embora o Brasil estivesse ganhando milhões de dólares com imposto sobre a extração da borracha, o governo não reaplicava um centavo na região da Amazônia. Todos os aspectos da vida representavam, então, um novo desafio. As Famílias ficaram dispersas pela floresta, muitas vezes separadas por quatro ou cinco horas de caminhada. Toda família caçava e colhia na floresta o que não podia plantar comprava dos caixeiros-viajantes.

Em 1944, nasce no seringal Porto Rico em Xapuri – Acre – Francisco “Chico” Alves Mendes Filho. Aos nove anos, Chico Mendes já acompanhava seu pai na floresta; Aos onze tornou-se seringueiro em tempo integral, nesta mesma época, a família mudou-se para a colocação Pote Seco no seringal Equador próximo à cachoeira, durante o dia Chico cortava seringa, caçava e a noite Chico lia alguns livros e se inteirava das noticias através de jornais quase sempre com atraso de semanas. Com doze anos Chico Mendes conheceu Euclides Fernandes Távora, aliado de Carlos Prestes. Euclides havia participado da intentona comunista em 1935, preso, conseguiu fugir e escondeu-se no meio da floresta Amazônica perto da colocação dos Mendes. Foi com Euclides Távora que Chico começou a entender o significado da exploração dos seringueiros, a luta de classes sempre com referencias a Lênin e Marx.

As aulas de Távora tiveram uma interrupção quando Chico estava com 17 anos e teve que trabalhar horas extras para sustentar sua família, pois sua mãe e irmão mais velho morreram. O aprendizado político de Chico com Távora foi retomado nos anos seguintes, Távora conseguiu um rádio, onde juntos……

…..continue sua leitura em….http://www.chicomendes.org.br/Biografia/bio.html 

1 comentário em “Sapatinhos feitos de borracha da seringueira ..artesanalmente.. lindos.. e confortáveis.. e ainda … da Reserva Extrativista Chico Mendes”

  1. Olá Vanessa , receberemos essa semana . Também temos dificuldades, nossa produção parou por causa das chuvas e sempre demora bastante, mas quem trabalha com artesanato se acostuma com isso, o ritmo é outro. Como diz Octavio Paz “Entre o tempo sem tempo de um museu e o tempo acelerado da tecnologia, o artesanato tem o ritmo do tempo humano…”
    Abs

Comentários encerrados.