Blog

Centro de Cultura Popular Mestre Noza

No centro de Juazeiro do Norte – CE há um casarão que um dia pertenceu à Polícia Militar Cearense, mas que agora floresce de cores e formas ao abrigar o Centro de Cultura Popular Mestre Noza. Pequenas salas ao redor de um pátio concentram o que há de mais tradicional na cultura artesanal cearense e nordestina.

Nomeado em homenagem ao falecido xilogravurista Mestre Noza, o Centro de Cultura Popular tem como objetivo concentrar o artesanato da região para impulsionar sua divulgação e venda. Funcionando desde 1983, o Centro é uma cooperativa com mais de 100 artesãos cadastrados com trabalhos variados, desde madeira, barro e ferro, até fibras naturais e material reciclado.

Em Maio tivemos a oportunidade de visitar o Centro de Cultura Popular Mestre Noza, como parte do roteiro da Rodada de Negócios do SEBRAE do Ceará. Trouxemos de lá peças especiais em madeira, além de boas recordações e algumas fotos.

Veja aqui as peças do Centro de Cultura Popular Mestre Noza.

Tecelagem de Berilo – MG

[Projeto desenvolvido pelo programa Artesanato Solidário entre 2002 e 2003 que visa valorização do artesanato de tradição brasileiro além de sua revitalização e difusão, gerando trabalho e renda para artesãos e suas famílias.]
O município de Berilo, no Vale do Rio Jequitinhonha, em Minas Gerais, é conhecido pela excelência de sua tecelagem. A tradição têxtil da região foi relatada pelos viajantes e remonta ao século XVIII. Ao longo das gerações, as mulheres desse lugarejo se dedicam ao intenso trabalho de cardar, fiar e tecer o fio de algodão. Atualmente, a produção artesanal de Berilo encontra-se organizada em torno de 3 associações comunitárias em Roça Grande, Engenho Velho e Barra do Ribeirão, onde 53 artesãos estão envolvidos no projeto Vale de Tramas do Artesanato Solidário.

Fibra de Tucumã- PA

A comunidade de Vila Brasil está localizada dentro do assentamento Agroextrativista Lago Grande com aproximadamente 86 familias.
O grupo é formado por homens e mulheres que produzem a cestaria com palha de tucumã e com tala de arumã. O grupo obedece os principios do comercio justo para garantir a sustentabilidade de empreendimento comunitario.

Na comunidade de Vila Gorete as mulheres produzem o artesanato que foi batizado de SACAI pelo tessume lembrar a forma dessa cobra. Suas peças tem como caracteristica uma cor unica, obitida atraves de plantas encontradas nos seus quintais e nas areas de floresta de sua comunidade.