Xilos e Cordéis

A xilogravura popular nordestina, apesar de permanecerem pouco conhecidas as suas origens, acredita-se que tenha sido trazida por missionários portugueses que ensinaram a técnica aos índios. As matrizes para impressão das ilustrações são talhadas, quase sempre, na madeira da cajazeira, matéria-prima mole, fácil de ser trabalhada e abundante na região Nordeste do Brasil.Os xilogravuristas utilizam apenas um canivete ou faca doméstica bem amolados. A literatura de cordel é uma espécie de representação da cultura popular escrita, em formato de poesia, impressa e divulgada em folhetos ilustrados com o processo de xilogravura.Em meio à ficção resgatam-se dados sobre vestimentas, crenças, comportamentos, objetos, linguagem, arquitetura, política, etc. Esta literatura chegou ao Brasil através dos portugueses, na segunda metade do século XIX, e aos poucos foi se tornando popular.