Chapéu de fibra de buriti - crochet - MA

A tecelagem manual é uma prática universal e milenar, que, no entanto, está ameaçada de extinção. É certo que a máquina pode substituir o homem na produção de tecidos e não é nosso objetivo voltar aos tempos anteriores à revolução industrial. Porém existem alguns produtos têxteis que uma máquina não pode fazer: aquelas peças especiais - xales, mantas, colchas - criadas uma a uma, e que parecem ter alma. Isso só a tecelagem manual pode oferecer. A tecelagem artesanal é uma atividade altamente geradora de empregos, mas não apenas isso: ela pode propiciar um trabalho criativo e, portanto, muito mais significativo para quem produz. Ademais, não gasta energia não-renovável nem gera resíduos poluentes.

R$ 80,00

5 em estoque

Loading Atualizando a cesta...

A fibra ou “linho” é retirado do broto da folha da palmeira de buriti – do tupi-guarani, “árvore que emite o líquido” ou “árvore da vida”. É desta palmeira, que pode atingir 35 metros de altura, que as artesãs produzem uma diversificada gama de produtos. O beneficiamento da fibra é atribuído por alguns à herança indígena, e o trançado, ao longo dos anos, foi incorporando novas influências. Técnicas amplamente conhecidas como o “macramê” e o crochê se aliam à tradicional “malha de cascudo” – de criação local, em que as tramas se assemelham a escamas do peixe de água doce que leva o mesmo nome. E o colorido, fruto de tingimento natural, dá ao artesanato de Barreirinhas uma forte excepcionalidade

De posse do broto do buriti inicia-se a retirada do linho com a abertura dos folíolos da folha. Com o auxílio de uma pequena faca, o artesão executa uma leve incisão na superfície do folíolo, possibilitando a retirada de uma fina película que vai sendo puxada uma a uma e depositada no chão, em punhados. O processo se repete por toda a extensão da folha até que esta fina pele seja retirada de todos os folíolos.

Em água fervente, por aproximadamente quinze minutos, o artesão realiza o cozimento da fibra extraída. Se houver necessidade de tingimento, substitui-se a água por tinta, preferencialmente a natural obtida a partir de cascas de árvores, folhas, frutos e flores da flora local.
Só então, após todas essas etapas é que o linho estará pronto para ser utilizado pelos artesãos com a aplicação de diversas técnicas de tecelagem como o macramê, crochê, batimento, carreira e entrelaçamento, dentre outras

Cooperativa de Artesãos dos Lençóis Maranhenses 

Assista o vídeo sobre a comunidade e o manejo da palmeira

 

Tags: , , , , , ,

Chapéu de fibra de buriti – crochet – MA