Cesto xotó P - Yanomami - AM

Muitas comunidades se caracterizam pelo tipo de trançado utilizado nas cestarias, seja pela origem e influências ou pela matéria prima disponível na região. Segundo a definição de Berta Ribeiro, esta importante técnica de manufatura, utilizando a mão desarmada ou os dedos em atividade prensil, remonta de 11 mil a.C.

Sob encomenda

Esgotado

O cesto raso,  denominado xotó,  trançado com cipó titica que é muito resistente e de longa durabilidade , é o mais caraterístico  cesto da etnia Yanomami, da região Amazônica. É o primeiro cesto que as jovens mulheres aprendem a fazer sendo amplamente utilizado no cotidiano da aldeia para acondicionar alimentos , algodão e pequenos objetos.

Os cestos Yanomami, confeccionados exclusivamente pelas mulheres, são objetos de uso diário para carregar e armazenar comidas e objetos.

O formato circular é uma característica da cestaria Yanomami assim como de toda a sua cultura (são circulares as casas, o corte de cabelo, e outros elementos).
Contam os mais velhos que essa tradição teve início com Tihinama, uma mulher Yanomami que viveu há muito tempo e que nasceu com o dom de tecer cestos xotehe e wii. Após a sua morte, ela deixou seus ensinamentos sobre a técnica de cestaria para as mulheres. Mais do que ensinamentos, Tihinama teria deixado sua própria energia (kama ani utupë hëkema), presente até hoje no trabalho de cada mulher Yanomami.
A produção e comercialização do artesanato de cestaria é hoje uma alternativa viável economicamente e segura ambientalmente para a geração de uma fonte de renda suplementar para as comunidades Yanomami.

Medida: altura 6 cm x diâmetro 27 cm

Produto com matéria-prima natural. Pode apresentar variações de cores e padrões.

 

Click aqui  para saber mais  sobre o povo Yanomami

Tags: , , , , , , ,

Cesto xotó P – Yanomami – AM
Cesto xotó P – Yanomami – AMCesto xotó P – Yanomami – AM
Cesto xotó P – Yanomami – AMCesto xotó P – Yanomami – AM